Rio Claro também é conhecida como a “Capital da Alegria”

Tradição e História no Carnaval de Rio Claro

ARTIGO – Ainda sobre os carnavais Contemporâneos

O carnaval contemporâneo em Rio Claro sofrerá forte influencia do carnaval carioca, cujo modelo marcaria o surgimento das Escolas de Brancos – SAMUCA. (Grêmio Recreativo cultural Beneficente Escola de Samba “Samuca”) e CASAMBA ( Grêmio Recreativo, Esportivo, Beneficente e cultural Escola de Samba “A casamba”, e logo após , Indaiàs (GBRC Grupo Beneficente , Recreativo, Cultural, Escola de Samba “ Ao Indaias” ), Uva – Unidos da Vila Alemã) e RENASCER ( Grêmio, Beneficente, Recreativo e Cultural Escola de Samba Renascer ) Essas escolas de samba trouxeram ao carnaval de Rio Claro programação visual nova da avenida, onde o luxo e a riqueza das fantasias estavam voltadas para a idéia competitiva, segundo os moldes do carnaval carioca – meta sonhada por todos os carnavais de escolas de samba Brasileiro.

O luxo e a riqueza acabaram por afastar o verdadeiro carnaval das ruas, sem auxilio financeiro, sem apoio cultural nascido para morrer, o carnaval raiz autêntico. Puro popular – perdeu sua força.

Seja como for o carnaval autêntico passou por transformações genuinamente locais, o que viria a notabilizar Rio Claro como Capital da Alegria. Durante muitos anos o Rio Clarense acotovelou-se nas calçadas das estreitas ruas do centro da cidade, onde acontecia o Corso Carnavalesco com seus cordões, blocos, carros alegóricos de clubes e as batalhas de confete, que sempre empolgaram os foliões . Prova incontestável disso são as fotos que mostram a presença popular nas festas carnavalescas – qualquer que seja o tempo ou espaço.

Note-se que ocorreram tentativas de criar liga independente das Escolas de Samba como a do carnaval do Vale do Paraiba e de tantos outros; aqui, porém, não houve a preocupação de buscar parceria com a iniciativa privada ou outra solução que provocasse o desligamento da Mãe Prefeitura.

Na década de 80, o surgimento de novas Escolas e a mudança do carnaval show para a Avenida do Rio Claro, Avenida Presidente Kennedy e Estádio Municipal Doutor Augusto Schmidt Filho trouxeram novos ânimos aos carnavalescos contudo, a dependência econômica da Prefeitura Municipal, decorrente do imobilismo das escolas , e a elevação constante do preço dos materiais utilizados em fantasias e alegorias transformaram rapidamente aquele carnaval reluzente e bem-sucedido de antes num visual pobre, com material barato e sujeito a desgaste, provocado pela intempérie freqüente nos dias de carnaval.

Esses problemas ofereceram o ânimo de alguns carnavalescos, deixando os organizadores do eventos inseguros quanto a participação real de todas as agremiações a cada ano . Assim, o carnaval da avenida Visconde do Rio Claro foi decaindo, chegando a ponto de desaparecer por completo durante vários anos.

A escassez de verbas oficiais para bancar a festa e atender as exigências das agremiações, a falha de interesse da iniciativa privada em patrocinar o evento, a falta de transparência na prestação de contas publicas e a completa desestruturação da recém-formada liga independente das Escolas de Samba, acabaram por obrigar a Prefeitura Municipal a buscar outra maneira de satisfazer a vontade popular produziram-se shows populares, trazendo personalidades de expressão nacionais como Emilinha Borba, noite ilustrada, Demônios da Garoa e outros artistas.

Nos últimos anos, mais uma vez, de forma amadora e pulverizando verba pública, procurou-se resgatar alguns acontecimentos de Velhos Carnavais como a chegada do Rei Momo na Estação Ferroviária, a Turma do Zé Pereira e a entrega de chave da cidade ao Rei Momo, criou-se sistema de Bailes Populares, instituiu-se no jardim Publico o Baile dos Anos Dourados , só com marchinhas antigas de carnaval. A Banda do Veneno, surgida +como forma de protesto contra a saída do carnaval do centro da cidade, viria a crescer. O final da história todos sabem: mais uma tentativa frustrada, porque o carnaval popular não pode ser pensado de cima para baixo: isso desmobiliza e desorganiza a cultura popular.

Com a volta dos desfiles da Avenida Visconde do Rio Claro, surgiram mais duas escolas de samba: PAVÃO DE OURO (Grêmio Recreativo Cultural Beneficente Esportiva Escola de Samba “Pavão de Ouro”) e Porto Cristal (Grêmio Recreativo Cultural e Beneficente Escola de Samba “Porto Cristal”).

Destaque no Carnaval de Rio Claro – Erica Palmero Schio

Com a atual administração Municipal, o carnaval no estilo carioca voltou às ruas e a população o aplaudiu: 50 mil pessoas nas ruas. Talvez seja necessário, bailes apoteóticos ao som de marchas imortais, pois o Brasil é um pais festeiro e vem fazendo essa revitalização em varias de suas cidades.

Fonte: Cadernos Azuis – Volume 1 – Arquivo do Município de Rio Claro

Um pouco mais nesta categoria

História dos Bairros – Centro histórico

O centro histórico de Rio Claro compreende as ruas 1 (Rua Dr. César) e 6 (Rua de São João), com as avenidas...

História dos Bairros – Boa Morte

O Bairro da Boa Morte desenvolveu-se ao redor da Capela de Nossa Senhora da Boa Morte e Assunção, com sua cosntrução iniciada...

Projeto Guri – Rio Claro

Endereço: Avenida 2, Rua 7, Prédio da ASSER (Associação de Escolas Reunidas)Telefones: (19) 3522-8005 / 3522-8000 ou 3523-2001Projeto Cultural de responsabilidade social...

Escola de Samba Samuca

Nome completo: Grêmio Recreativo Cultural Beneficente Escola de Samba SamucaAno de fundação: 1974Símbolo: GolfinhoRegião de Origem: Bairro Boa MortePresidente da Escola: Welson...

Escola de Samba Grasifs

Grêmio Recreativo Acadêmico Sociativo Independente Faculdade do Samba Voz do Morro, mais conhecida pela sigla Grasifs Cores oficiais: Vermelho...

Poupatempo Rio Claro

O Programa Poupatempo disponibiliza à população mais de 400 serviços, sendo emissão de RG, Atestado de Antecedente Criminais, Carteira de Trabalho e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Posts Relacionados

Advertisment

Últimas Matérias

História dos Bairros – Centro histórico

O centro histórico de Rio Claro compreende as ruas 1 (Rua Dr. César) e 6 (Rua de São João), com as avenidas...

História dos Bairros – Boa Morte

O Bairro da Boa Morte desenvolveu-se ao redor da Capela de Nossa Senhora da Boa Morte e Assunção, com sua cosntrução iniciada...

Projeto Guri – Rio Claro

Endereço: Avenida 2, Rua 7, Prédio da ASSER (Associação de Escolas Reunidas)Telefones: (19) 3522-8005 / 3522-8000 ou 3523-2001Projeto Cultural de responsabilidade social...